Seminário “Antropologia da Ciência e da Tecnologia” (UFSCar)

(Segue abaixo a divulgação de um seminário do qual participarei)

Os Programas de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) e de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Sociedade (PPGCTS), ambos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), convidam para o seminário “Antropologia da Ciência e da Tecnologia”.

Data: 26/05/2010
Horário: 9:00
Local: Auditório do DCSo

Programação

Sobre os dilemas do dado e do construído
– Stelio A. Marras (IEB/USP)

    Resumo: A apresentação deve abordar os seguintes temas: Como situar a antropologia nos estudos de ciência? Qual o partido epistemológico e o rendimento de uma antropologia da ciência e da modernidade? Como considerar – a partir da obra de Charles Darwin e de uma etnografia em laboratórios de química e biologia – o candente dilema contemporâneo em antropologia a respeito do que seja o dado e o construído nos fenômenos sociais?

Antropologia da ciência e da tecnologia: considerando o campo
– Marko Synésio A. Monteiro (DPCT/Unicamp)

    Resumo: Esta comunicação busca discutir a abordagem antropológica de temas ligados à ciência e tecnologia, delimitando algumas particularidades e buscando especular sobre os alcances possíveis dessa forma de análise. A partir do crescimento dos chamados Estudos Sociais de Ciência e Tecnologia (ESCT), a abordagem etnográfica vem sendo cada vez mais utilizada para o estudo das relações entre ciência, tecnologia e sociedade. Num movimento semelhante, a antropologia vem cada vez mais abordando a ciência e a tecnologia contemporânea como temas de interesse, no Brasil e no mundo. Busco retomar algumas tendências principais desses dois movimentos, incluindo o estudo da produção do conhecimento (estudos de laboratório) e a apropriação do conceito de cultura para os estudos de ciência e tecnologia. O texto conclui que estudos antropológicos de ciência e tecnologia oferecem uma perspectiva única, incluindo a análise da ciência e tecnologia como práticas, e a noção de tecnologia como fato social total. Tais abordagens podem enriquecer tanto os ESCT quanto a própria antropologia. Encerro a comunicação com alguns exemplos retirados de minha própria pesquisa etnográfica com cientistas, analisando a produção de conhecimento por equipes interdisciplinares e a problemática do uso de imagens digitais na produção de conhecimento sobre o corpo e a doença.

Por uma definição dos processos tecnicamente mediados de associação
– Pedro P. Ferreira (DCSo/PPGAS/UFSCar)

    Resumo: Proponho apresentar as linhas gerais de um recorte temático de pesquisa em Antropologia da Ciência e da Tecnologia centrado na natureza técnica de mediações associativas. A apresentação desse recorte recorrerá às referências mais ou menos implícitas de Bruno Latour às teorias de Gabriel Tarde e Gilbert Simondon, e também à noção de agência desenvolvida por Alfred Gell. Na direção já apontada por Latour, a distinção humano/não-humano tenderá aqui a ser menos importante do que a distinção mediador/intermediário.

Comentários desativados em Seminário “Antropologia da Ciência e da Tecnologia” (UFSCar)

Arquivado em Uncategorized

Os comentários estão desativados.