Sociological ngrams

Algum tempo atrás eu estava brincando com o Google Books Ngram Viewer e resolvi fazer uma pequena sondagem sociológica ou sociométrica. Primeiro fiz buscas por a “Émile Durkheim” e “Gabriel Tarde” nos idiomas francês, inglês e alemão, no período de 1880 a 2008. Sabemos que não é possível saber exatamente o que representa os resultados, pois a Google é vaga quanto ao corpus e procedimento da pesquisa. De qualquer forma, é interessante observar como Tarde só é claramente superado por Durkheim no idioma francês, e mesmo assim muito recentemente (por volta de 1993) e com pouca vantagem. Teria a sociologia durkheimiana realmente vencido a tardeana como normalmente se constata?

Referências a Durkheim e Tarde, entre 1880-2008, em Francês:

Antes de ser ultrapassado por Durkheim em 1993, Tarde teve dois picos importantes de referência: um em 1906-7 (poucos anos após sua morte) e outro em 1973-4 (período em que foi retomado pelo pós-estruturalismo). Durkheim permaneceu razoavelmente estável até 1985, quando começou sua ascenção rumo à liderança, ultrapassando Tarde em 1993 (ano do centenário de sua primeira grande obra) e subindo sem parar (seguido proximamente por Tarde, vale dizer) até o final do período. O corpus em francês foi o que apresentou o maior volume de citações dentre os tês idiomas aqui pesquisados para esses dois autores (0,000035%), o que condiz com a nacionalidade dos autores.

Referências a Durkheim e Tarde, entre 1880-2008, em Inglês:

No corpus em inglês, as trajetórias de Tarde e Durkheim são parecidas com aquelas no corpus em francês, mas com menos referências a ambos, e a Durkheim em especial, e alguma defasagem nos picos. Tarde apresenta aqui dois picos também: o primeiro em 1913-4, dez anos após sua morte; e o segundo em 1973-4, como no corpus em francês. Os picos aqui são, no entanto, menos pronunciados do que no corpus em francês. A trajetória de Durkheim só se destaca levemente nos dez anos entre 1968 e 1978 e depois a partir de 1990 (década em que seus três primeiros livros importantes completaram 100 anos), quando inicia uma ascenção constante até ultrapassar Tarde já em 2007. Como a Google nos recomenda confiar menos nas frequências mais recentes, eu não sei exatamente se a vitória de Durkheim não seria antes um empate técnico…

Referências a Durkheim e Tarde, entre 1880-2008, em Alemão:

No corpus em alemão, Durkheim é praticamente ignorado até 1993 (ano do centenário de sua primeira grande obra). Já Tarde tem uma boa frequência de citações, com picos em 1908 (poucos anos após sua morte); 1925-30 (período entre guerras); anos 1960 (pós-estruturalismo); e o último em 2007.

Depois, fiz buscas com os três sociólogos considerados clássicos pela maior parte das universidades brasileiras – Émile Durkheim, Max Weber e Karl Marx – e também com o criador do termo “sociologia”, Auguste Comte, considerando todo o período de 1800 a 2008. Além de comparar a frequência de referência a cada um dos três clássicos, quis compará-los com o proto-sociólogo Comte.

Referências a Durkheim, Weber, Marx e Comte, entre 1800-2008, em Francês:

No corpus em francês, Comte só é superado por Marx em 1945 (término da II Guerra Mundial e centenário do “Manifesto Comunista), e por Weber em 1970. Durkheim não chega nem perto de ultrapassar Comte, e permanece claramente o menos citado em todo o período. Apesar de ser o autor mais citado entre 1830 e 1945, Comte nunca mais atinge os picos obtidos entre 1880 e 1845, chegando em 2008 empatado com Marx, que permanece na liderança apenas nos 40 anos entre 1945 e 1985 (grosso modo, entre o final da IIGM e a queda da União Soviética; mas também período que sua produção completou 100 anos). Durkheim cresce de 1990 para cá, quando suas principais obras começam a comemorar 100 anos, mas nem chega perto dos outros. Weber tem uma trajetória notável: crescendo constantemente desde 1920 (ano de sua morte), assume a liderança em 1985 e continua crescendo até 2008. Classificação final: 1-Weber; 2-Marx e Comte; 3-Durkheim.

Referências a Durkheim, Weber, Marx e Comte, entre 1800-2008, em Inglês:

No corpus em inglês, Comte só é predominante entre 1845 e 1890. Em 1890 Comte é ultrapassado por Marx (que morrera poucos anos antes), e em 1935 por Weber. O único que não ultrapassa Comte em inglês é Durkheim, autor menos citado em todo o período. Em 2008, temos Marx e Weber como os sociólogos mais citados no corpus, seguidos a alguma distância por Comte e Durkheim. É interessante notar também que enquanto referências a Marx e Weber atingem picos (1935, 1950 e 1975 para Marx; 1973 para Weber), referências a Comte e Durkheim permanecem predominantemente estáveis e constantes no período. Ou seja, Comte foi ultrapassado por Marx e Weber sem, no entanto, deixar de ser citado. O corpus em inglês foi o menos volumoso (em quantidade total de citações) dos três para essa busca (0,0003%), o que pode ser devido à ausência de autores norte-americanos ou ingleses na busca. Classificação final: 1-Marx; 2-Weber; 3-Comte; 4-Durkheim

Referências a Durkheim, Weber, Marx e Comte, entre 1800-2008, em Alemão:

O corpus em alemão é bastante diverso dos outros dois a começar pelo maior volume total de citações (0,0025%). Além disso, Comte tem um perfil constante entre 1890 e 2008, mas extremamente baixo. Durkheim sequer aparece no gráfico… Apenas Marx e Weber se destacam numa dança interessante na qual se alternam: até 1925, Marx é dominante; entre 1925 e 1930, período entre-guerras logo após a morte de Weber, este assume uma rápida dianteira; entre 1930 e 1940, ainda entre-guerras eles permanecem empatados; entre 1940 e 1990 Marx assume a dianteira, chegando a um pico de citações em 1970 e depois descendo até ser novamente ultrapassado por Weber em 1990. Classificação final: 1-Weber; 2-Marx; 3-Comte; 4-Durkheim.

Considerando esse corpus, podemos então dizer que a classificação geral desses quatro sociólogos por volume de citação é: 1-Weber; 2-Marx; 3-Comte; 4-Durkheim. Pobre Durkheim… Mas será que podemos confiar nessas estatísticas? Vale ler: Quantitative Analysis of Culture Using Millions of Digitized Books. De qualquer forma, foi interessante constatar que: (1) autores tendem a ser mais citados em seu idioma natal; (2) autores tendem a ser mais citados nos anos seguintes à sua morte; (3) autores tendem a ser mais citados nos anos em que suas obras completam 100 anos.

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “Sociological ngrams

  1. Nossa, muito legal ver isso.

  2. Caramba, que interessante! A vontade de fazer com outros autores está crescendo aqui…