Cosmopolítica simondoniana


Entendo que Gilbert Simondon fez “cosmopolítica”, muito antes que Isabelle Stengers inventasse esse conceito filosófico. Isso me parece claro na passagem abaixo, retirada do final de “A amplificação nos processos de informação”, quando Simondon sintetiza as relações entre as três formas de amplificação (transdutiva, moduladora e organizadora):

“[U]ma tal hipótese, que levaria a considerar a organização como a forma mais complexa de amplificação, incorporando ao mesmo tempo um processo transdutivo e um processo modulador, e os correlacionando funcionalmente, levaria também à consideração da resolução de problemas vitais e psíquicos (portanto, à evolução e à invenção) como supondo, a título de base, a possibilidade anterior de aspectos sociais e psicossociais. Essa afirmação pode parecer paradoxal, mas ela não o é realmente, se se realiza uma extensão da noção de relações sociais: moléculas, células elementares, podem estar, umas com relação às outras, numa relação de tipo social, implicando controle, modulação, redução da atividade; o fenômeno psicossocial é, então, somente a propagação transdutiva de uma perturbação que, tendo realizado uma mudança de equilíbrio no nível elementar, ressoa no nível coletivo por recrutamento de todos os elementos. Talvez as grandes etapas filogenéticas tiveram por condição fenômenos sociais e psicossociais; assim, a noção de sociedade, inicialmente definida para o homem, se estende às espécies animais; mas ela pode ser mais completamente generalizada, englobar relações entre vegetais e mesmo entre moléculas; da mesma forma, a relação de tipo psicossocial, definida inicialmente nas relações interindividuais humanas, é suscetível de receber uma generalização.” (Simondon 2020:297)

Este texto corresponde à conferência ministrada por Simondon em 1962, no Colloque de Royaumont sobre Le concept d’information dans la science contemporaine, do qual ele foi o organizador. Apenas o seu resumo foi publicado nos Anais do colóquio, tendo sido a íntegra do texto publicada postumamente, na coletânea de textos Communication et information: cours et conférences (Chatou: Les Éditions de la Transparence, 2010, p.157-176).

A tradução que fiz deste texto, junto com Evandro Smarieri, acaba de ser publicada pela revista Trans/Form/Ação (Unesp-Marília). Eis a referência completa e link:

SIMONDON, Gilbert. 2020. A amplificação nos processos de informação. (Trads.: Pedro P. Ferreira; Evandro Smarieri) Trans/Form/Ação 43(1):283-300. [1962]

Comentários desativados em Cosmopolítica simondoniana

Arquivado em Uncategorized

Os comentários estão desativados.