Pesquisa

Meu principal interesse de pesquisa reside naquilo que venho definindo como “processos tecnicamente mediados de associação” (ProTeMAs): processos de associação envolvendo, entre seus mediadores, objetos técnicos (cf. Ferreira 2010a, 2017a). Já desenvolvi, orientei e participei de pesquisas sobre os seguintes ProTeMAs:

  • música eletrônica de pista (MEP) (cf. Ferreira 2004, 2005, 2006a, 2006b, 2006c, 2007, 2008a, 2008b, 2008c, 2009b, 2010b, 2011a, 2011c, 2012a, 2012b, 2012c, 2016b, 2020b; Malhão 2014);
  • cinema/fotografia (Ferreira 2009a, Ferreira e Barreto 2007);
  • internet e informática (Garcia dos Santos e Ferreira 2008; Alves da Silva e Ferreira 2009; Garcia dos Santos et al. 2010; Paciornik e Ferreira 2014; Feitosa da Costa e Ferreira 2016; Ferreira 2018a, 2018b; Amâncio 2014; Galletta 2013; Mazieri e Ferreira 2020; Gonçalves e Ferreira 2020; Caetano dos Santos et al 2020; Gonzalez e Ferreira 2020; Ferreira e Freitas 2014; Ferreira 2017b);
  • práticas científicas (Barreto e Ferreira 2009; Capovilla e Ferreira 2015; Ferreira 2016a, 2020a; Ferreira e Barreto 2010, Ferreira e Bomfim 2015; Capovilla 2015; Passami Jr. e Ferreira 2019);
  • sistemas de transporte (Ferreira 2009c, 2018c);
  • design (Ferreira 2008b; Malhão 2018);
  • prática do skate (Ferreira 2009a, 2011b, 2015, 2016c, 2016d, 2016e);
  • telepresença via meios de comunicação (Bumachar e Ferreira 2018; Sega 2020);
  • agricultura (Smarieri 2018);
  • a agência social dos elementos químicos (Oliveira de Souza et al. 2019; Ferreira et al. 2020; Ferreira 2019, 2021).

Os referenciais teórico-conceituais e metodológicos centrais dessas minhas pesquisas têm sido a Teoria Ator-Rede (TAR) – como formulada por Bruno Latour, Michel Callon e John Law ao longo dos anos 1980-90 -, a filosofia da diferença – como praticada atualmente por Eduardo Viveiros de Castro e Isabelle Stengers, e antes deles por Gregory Bateson, Gilles Deleuze, Félix Guattari e Gilbert Simondon – e a política científica de Donna Haraway.

Desde 2011, tais pesquisas foram vinculadas à formalização, junto com outros pesquisadores, de um Laboratório de Sociologia dos Processos de Associação (LaSPA).

Referências

ALVES DA SILVA, Rafael; FERREIRA, Pedro P. 2009. Considerações acerca do trabalho imaterial e da produção de valor no capitalismo contemporâneo. XXVII Congreso ALAS (Asociación Latinoamericana de Sociología) – GT 18: “Reestructuración productiva, trabajo y dominación social” – Buenos Aires (Argentina), 31 de agosto a 4 de setembro.
AMÂNCIO, Stefano S. 2014. Formas contemporâneas de relação entre capital e tecnicidade: estudo sobre a gênese de microprocessadores de licença proprietária e livre. Dissertação de Mestrado em Sociologia. PPGS/IFCH/UNICAMP.
CAETANO DOS SANTOS, Tainá T.; FERREIRA, Pedro P.; GARCIA, Islene C. 2020. Redes sociais e seu impacto na democracia atual: um estudo de caso das eleições de Donald Trump e Jair Bolsonaro. XXVIII Congresso {virtual} de Iniciação Científica da Unicamp. Campinas, 30 de novembro a 3 de dezembro.
CAPOVILLA, Thaís G. 2015. Delegating actions: subjectivation and objectivation in the laboratory. XXIII Congresso de Iniciação Científica da Unicamp. Campinas, 17 a 19 de novembro.
CAPOVILLA, Thaís G.; FERREIRA, Pedro P. 2015. Delegando ações a não-humanos: como a tecnologia influencia práticas laboratoriais e o fazer científico. In: VI Simpósio Nacional de Ciência, Tecnologia e Sociedade (ESOCITE.BR/TECSOC). Rio de Janeiro, pp.387-8.
BARRETO, Márcio; FERREIRA, Pedro P. 2009. Tecnociência e política: Einstein, Bergson e o mundo visto da perspectiva de um raio de luz. Cadernos de História e Filosofia da Ciência 19(2):193-221.
BUMACHAR, Bruna L.; FERREIRA, Pedro P. 2018. Materialidades e maternidades: Agência distribuída e produção de copresença em redes espaço-temporais de cuidado mobilizadas por estrangeiras na Penitenciária Feminina da Capital (PFC) – SP. Revista Interseções 20(1):67-92.
FEITOSA DA COSTA, Adriano B.; FERREIRA, Pedro P. 2016. Perspectivas tecnoxamânicas e tecnomágicas no ativismo digital brasileiro recente: uma trajetória possível. Contemporânea – Revista de Sociologia da UFSCar 6(2):335-67.
FERREIRA, Pedro P. 2004. O analógico e o digital: a politização tecnoestética no discurso dos DJs. XXIV Reunião Brasileira de Antropologia: Programa e Resumos, p.282. .
__________. 2005. Algumas considerações sobre o estudo das relações entre música eletrônica e xamanismo. Texto apresentado na reunião do Núcleo de Transformações Indígenas (NuTI/UFRJ-Museu Nacional) de 14 de outubro.
__________. 2006a. O analógico e o digital: tecnoestética, micropolítica e fetichismo na música eletrônica. In: Ricardo Rosas; Giseli Vasconcelos. (orgs.). Net_cultura 1.0: digitofagia. São Paulo: Radical Livros, p.140-9.
__________. 2006b. Música eletrônica e xamanismo: técnicas contemporâneas do êxtase. Tese de Doutorado em Ciências Sociais. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas.
__________. 2006c. Transe maquínico – ou: o que pode uma máquina? Nada 8:74-7.
__________. 2007. Um duplo devir: quando a música eletrônica encontra o xamanismo e o xamanismo encontra a música eletrônica. XIV Jornadas sobre Alternativas Religiosas en América Latina: Religiones/Culturas. Buenos Aires: CIE/UNSAM/iDaes.
__________. 2008a. Transe maquínico: quando som e movimento se encontram na música eletrônica de pista. Horizontes Antropológicos 29:189-215.
__________. 2008b. When Sound Meets Movement: Performance in Electronic Dance Music. Leonardo Music Journal 18:17-20.
__________. 2008c. Parâmetros, tendências e limiares de funcionamento na música eletrônica de pista. GT 26 – Novos modelos comparativos: antropologia simétrica e sociologia pós-social – do 32o Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu (MG), 27 a 31 de outubro.
__________. 2008d. More than meets the eye: os Transformers e a vida secreta das máquinas. Nada 11:158-67.
__________. 2009a. Conversa com o skatógrafo Renato Custódio. Pedro P. Ferreira.
__________. 2009b. Entrevista com o DJ Lukas. Pedro P. Ferreira.
__________. 2009c. Quando o carro “pede marcha”: reflexões em torno da querença dos objetos. In: II Reunião de Antropologia da Ciência e da Tecnologia. Belo Horizonte.
__________. 2010a. Por uma definição dos processos tecnicamente mediados de associação. Revista Brasileira de Ciência, Tecnologia e Sociedade 1(2):58-75.
__________. 2010b. Applied rhythm technology in electronic dance music: the sound-movement nexus. In: Discourses of Music, Sound, and Film: a Meeting of Disciplines. Austin (Texas, EUA).
__________. 2011a. Tecnologia rítmica aplicada na música eletrônica de pista: o caso “The Prodigy”. In: 1o. Seminário Brasileiro de Ciência, Tecnologia e Sociedade. UFSCar.
__________. 2011b. Picologia: pensando a reticulação do meio urbano pelo skate. In: III Reunião de Antropologia da Ciência e da Tecnologia. Brasília.
__________. 2011c. Todo DJ tem uma pista de dança na cabeça? (causalidade reversa e mais-valia de código). Pedro P. Ferreira.
__________. 2012a. Fuga, transformação e sociogênese na música eletrônica de pista: experiências e experimentações de um DJ de techno. In: Léa F. Perez; Leila Amaral; Wania Mesquita (orgs.). Festa como perspectiva e em perspectiva. Rio de Janeiro: Garamond, pp.255-72.
__________. 2012b. Breakbeat Science: a ciência da batida quebrada. Pedro P. Ferreira.
__________. 2012c. Da esquizofonia à transdução sonoro-motora. Pedro P. Ferreira.
__________. 2015. Skatografias: o caso do pico. In: Suely Kofes; Daniela Manica (orgs.). Vida & grafias: narrativas antropológicas, entre biografia e etnografia. Rio de Janeiro: Lamparina, pp.9-15.
__________. 2016a. Objetos científicos: armadilhas para suscitar a natureza. In: Claudia Fonseca; Fabíola Rohden; Paula S. Machado; Heloísa S. Paim (orgs.). Antropologia da Ciência e da Tecnologia: dobras reflexivas. Porto Alegre: Sulina, pp.81-98.
__________. 2016b. No embalo da rede: ritmo e reticulação. Vídeo realizado para o Seminário do LAH (Museu Nacional/UFRJ) Pele sobre pele: miradas etnográficas sobre pessoas, tambores e outros toques, realizado entre os dias 30 de junho e 2 de julho.
__________. 2016c. Experimento de skatosofia: Mark Gonzales à luz de Deleuze e Guattari. Vídeo realizado para minha apresentação na reunião Sextas na Quinta de 14/10/2016, do Núcleo de Antropologia Simétrica (NAnSi), do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Museu Nacional/UFRJ).
__________. 2016d. Skate de rua no Brasil: entre o mármore e a pedra portuguesa. In: 40º Encontro Anual da ANPOCS. Caxambu.
__________. 2016e. Marble and Portuguese rocks: spot-making practices in brazilian street skateboarding. In: 4S/EASST CONFERENCE BCN-2016: Science + technology by other means. Barcelona.
__________. 2017a. Reticulações: ação-rede em Latour e Simondon. Revista Eco-Pós 20(1):104-35.
__________. 2017b. Encontros codificados. Pedro P. Ferreira.
__________. 2018a. Power, control and technicity in online social networks: conceptual and methodological aspects. In: Miriam P. Grossi; Simone Lira da Silva; Ivi Porfirio; Caroline A. Vale dos Santos; Gabriel D.L. Zamora; Gabriela A. Tertuliano; Maria L. Scheren; Filipe T. Calueio (orgs.). Conference proceedings/Anais: 18th IUAES Word Congress/18º Congresso Mundial de Antropologia – Volume 4. Florianópolis: Tribo da Ilha, pp.5130-41.
__________. 2018b. ‘O controle sobre a teledifusão é um exercício no controle da sociedade.’ (redes sociais digitais são a nova TV). Pedro P. Ferreira.
__________. 2018c. O motorista é o limite do automóvel. Pedro P. Ferreira.
__________. 2019. The elementary forms of electronic life: exploring metallic affects with Deleuze and Simondon. In: Annual Meeting of the Society for the Social Studies of Science: Innovations, Interruptions, Regenerations (4S). New Orleans, EUA.
__________. 2020a. Entre vírus e devires: a pandemia como informação. ClimaCom 19:1-28.
__________. 2020b. Química sonora. Pedro P. Ferreira.
FERREIRA, Pedro P.; BARRETO, Márcio. 2007. Fotografia, cinema e velocidade. ComCiência: Revista de Jornalismo Científico 93.
__________. 2010. Einstein hoje: um diálogo (revisitado). Pedro P. Ferreira.
FERREIRA, Pedro P.; BOMFIM, Daniela. 2015. Bourdieu in the physics lab: testing the concept of hysteresis. XXIII Congresso de Iniciação Científica da Unicamp. Campinas, 17 a 19 de novembro.
FERREIRA, Pedro P.; FREITAS, Flaviana de. 2014. NTICs e socialidade contemporânea: uma entrevista. Pedro P. Ferreira.
FERREIRA, Pedro P.; MESSIAS, Hingridy R.; VOLPE, João P.G.; FERREIRA, Victor E.S. 2020. As formas elementares da vida eletrônica: a agência social de elementos químicos metálicos usados na fabricação de smartphones. XXVIII Congresso {virtual} de Iniciação Científica da Unicamp. Campinas, 30 de novembro a 3 de dezembro.
GALLETTA, Thiago P. 2013. Cena musical independente paulistana – início dos anos 2010 : a “música brasileira” depois da internet. Dissertação de Mestrado em Sociologia. PPGS/IFCH/UNICAMP.
GARCIA DOS SANTOS, Laymert; ALVES DA SILVA, Rafael; FERREIRA, Pedro P. 2010. Do gorila amestrado de Taylor ao macaco de Nicolelis. Trabalho, Educação e Saúde 8(3):551-61.
GARCIA DOS SANTOS, Laymert; FERREIRA, Pedro P. 2008. A regra do jogo: desejo, servidão e controle. In: Fábio Villares (org.). Novas mídias digitais (audiovisual, games e música): impactos políticos, econômicos e sociais. Rio de Janeiro: E-papers, pp.85-104.
GONÇALVES, Rafael; FERREIRA, Pedro P. 2020. Não-neutralidade da tecnologia: a ação social das mediações técnicas. XXVIII Congresso {virtual} de Iniciação Científica da Unicamp. Campinas, 30 de novembro a 3 de dezembro.
GONZALEZ, Cristiana de Oliveira; FERREIRA, Pedro P. 2020. Nem inteligente, nem artificial: uma cartografia das infraestruturas do infocapitalismo. ComCiência. 20 de setembro.
MALHÃO, Rafael da Silva. 2014. Uma ecologia dos meios tecnológicos dos DJs de música eletrônica de pista: habilidades, percepção e corpo. Dissertação de Mestrado em Sociologia. PPGS/IFCH/UNICAMP.
__________. 2018. O desempenho diferencial do capitalismo a partir do estudo de caso em design: projetar o mercado e as condições para sua subversão. Tese de Doutorado em Sociologia. PPGS/IFCH/UNICAMP.
MAZIERI, Luiza V.; FERREIRA, Pedro P. 2020. Solidão e Internet na modernidade tardia. XXVIII Congresso {virtual} de Iniciação Científica da Unicamp. Campinas, 30 de novembro a 3 de dezembro.
OLIVEIRA DE SOUZA, Guilherme; CALIXTO, Paulo V.M.; PAULINO, Pedro G.S.L.; AMÂNCIO, Stefano S.; FERREIRA, Pedro P. 2019. As formas elementares da vida eletrônica: a agência social de elementos químicos metálicos usados na fabricação de smartphones. XXVII Congresso de Iniciação Científica da Unicamp. Campinas, 16 a 18 de outubro.
PACIORNIK, Guilherme F.; FERREIRA, Pedro P. 2014. Cleodon Silva e a Casa dos Meninos: mecanologia, do reco-reco à internet. Filosofia e Educação 6(3):260-300.
PASSAMI JR., Olivandi N. 2019. Mapeando a Iniciação Científica atual em Ciências Humanas: um estudo de caso usando Pajek. XXVII Congresso de Iniciação Científica da Unicamp. Campinas, 16 a 18 de outubro.
SEGA, Rodrigo F. 2020. Produções ciborgues: imigrantes brasileiras & mídias sociais no Canadá. Tese de Doutorado em Sociologia. PPGS/IFCH/UNICAMP.
SMARIERI, Evandro. 2018. Tecnologia e ambiente na permacultura : perspectivando a crise socio-ambiental. Dissertação de Mestrado em Sociologia. PPGS/IFCH/UNICAMP.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s